Manaus Contábil

(92) 3071-8382
99994.1651 / 99994.1851/ 99391.9860




Notícias

29/07/2022 - Carteira digital: tecnologia pode ajudar no desenvolvimento do comércio

29/07/2022

Adotar meios digitais de pagamento é um caminho sem volta para todo tipo de negócio, mas cheio de bifurcações, já que existem diversos métodos. Porém, as carteiras digitais, chamadas de ewallets, são um dos meios que merecem atenção imediata. 

A tendência é tão forte que até instituições não bancárias estão lançando seus próprios aplicativos de contas digitais, pensando no consumidor e em formas de inovar no mercado. 

No Brasil, foi confirmada para 2023 a fase de teste do Real Digital, o CBDC, (em inglês, Central Bank Digital Currency) do país. As moedas digitais emitidas por governos e Bancos Centrais precisarão de uma carteira digital para ser utilizada. 

Vale esclarecer que não é uma criptomoeda: um CBDC tem os mesmos fundamentos, e problemas, da moeda fiduciária tradicional - no caso do Brasil, o Real.

Confira a seguir os prós e contras para empresários e comerciantes investirem no uso dessa tecnologia.

Vantagens das carteiras digitais

Obstáculos reduzidos no e-commerce: uma estimativa do Baymard, instituto internacional de pesquisas sobre UX, aponta que quase 70% dos carrinhos nas compras online são abandonados no checkout em plataformas que não possuem sistemas de pagamento contemplando carteiras digitais. 

No caso dos que têm, a taxa de conversão de vendas é 3 vezes maior. Isso porque - e vale para compras em loja física também - além do cliente não conseguir fazer o pagamento naquele momento, ele pode desistir de voltar a tentar por conta da experiência ruim que teve.

Dispensa do contato físico: em um contexto de pandemia, além da comodidade, o pagamento sem aperto de botões nem manuseio de notas ou cartões é também uma questão sanitária. 

De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), o total de pagamentos por aproximação no primeiro trimestre de 2022 supera R$ 100 bilhões. 

Essa abordagem ultrapassa 30% do total nas transações presenciais. Nesse sentido, os estabelecimentos que contam com tecnologia de pagamento por aproximação (chamado NFC, sigla para near-field communication technology), agrega valor e tranquilidade na experiência do cliente.

Mais segurança para ambos os lados: valendo para as compras presenciais e digitais, a conexão do dispositivo para receber pagamento é feita com o dispositivo do cliente que, normalmente, é desbloqueado por biometria ou senhas - coisa que não acontece no caso dos cartões físicos que têm função de pagamento por aproximação, deixando-os mais vulneráveis a fraudes.

Ferramentas de gestão: muitas carteiras digitais oferecem funções como geração de QR code de PIX ou link para pagamento com cartão de crédito, até com a possibilidade de parcelamento para o cliente. 

Junto com simuladores de taxas, calculadoras de frete e controle de extratos, são ferramentas que dão até às microempresas as possibilidades que o consumidor, antigamente, encontrava apenas em grandes negócios.

Contras

É preciso encontrar a carteira certa: existem diversos tipos de ewallets, que variam em funções e, principalmente, em popularidade. Isso é, não adianta usar a mais completa carteira digital se seus clientes costumam usar outra que considerem mais amigável.

Manejo de muitos sistemas: claro, não é preciso escolher apenas um. Porém, aderir a muitas carteiras digitais pode tornar a gestão ineficiente, cara e complexa. 

Com informações Rapyd e Agência NR7

Outras Notícias

Mais notcias